sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

E só agora é que perceberam isso?

"A demissão em bloco de professores que foram eleitos pelos seus colegas para os representar não iria resolver qualquer problema. Seria antes uma traição aos professores que os elegeram", disse ontem a dra. Rosário Gama à saída de reunião de 4 horas (!) no ME.

Pergunto-me se ninguém se lembrou desta conclusão óbvia quando resolveram ameaçar com a demissão colectiva. Eu já aqui tinha dito: a inexperiência política destas pessoas é confrangedora, e o estado de desespero em que estão é por demais visível.

Mas há mais: percebe-se que a dra.Rosário Gama só reconhece o que os seus pares querem num dado momento, mas não o que lei manda fazer. É uma concepção muito adolescente de democracia, e leva à completa desresponsablização dos líderes. O que a dra.Rosário Gama faz, com comportamentos destes, é legitimar a mudança no enquadramento jurídico que o Governo levou a cabo no regime de gestão e autonomia das escolas, instituindo a figura do director, porque com pessoas destas à frente das escolas, as decisões difíceis para a maioria - mas em conformidade com a lei - vão sempre para a gaveta.

A dra.Rosário Gama acha que não vive num Estado de direito, mas num estado das "multidões enraivecidas". E dá-lhes razão. Chamam a isto 'coragem'?

9 comentários:

Anónimo disse...

Não se demitiram, porque ser Presidente de um CE, numa escola, é muito bom para estes professores que não gostam de dar aulas. Mas era óptimo que se tivessem demitido, pois assim começava já o novo modelo de gestão, com um director, como devia ser há muito tempo. Sou professora e não imaginam a falta de nível da grande maioria dos meus colegas.

setora disse...

Pena é que os pce também "eleitos" pelos professores e que contra eles actuam não se demitam em bloco. Isso é que era bom uma vez que não estão a representar quem os elegeu. Ficava tudo muito mais claro e dentro da "democracia".

Anónimo disse...

Folgo por o ver de volta.

Pode parecer que nada tem a ver, mas tem exactamente a ver com o reconhecer apenas e em exclusivo o seu lado, como o único detentor de verdade, liberdade e democracia.
Queria chamar a sua atenção para o que se passou no blog Profavaliação relativamente a dois comentários colocados ao post do Prof.Ramiro Marques de 16 de Janeiro às 21:55: "122 moções às 22:00: 49 agrupamentos e 73 escolas. A aprovação de moções de rejeição da ADD está imparável", um das 22:31 e outro das 23:15, os dois de 16 de Janeiro. Ambos, a 17 de Janeiro, de manhã, estavam apagados. Foram republicados a 17 de Janeiro às 15:57.
Encontra-se aqui:
http://www.profblog.org/2009/01/122-moes-s-2200-49-agrupamentos-e-72.html

Anónimo disse...

Já agora, comentem a SUSPENSÃO da avaliação nos Açores da mesma forma como foram ligeiros a criticar o grande e visionário Alberto João Jardim que faz muita falta no "contenente"

http://ww1.rtp.pt/acores/?article=6294&visual=3&layout=10&tm=7

GOSTAVA de vos ouvir!!!

Quemtemmedodaavaliacao disse...

Caro Anónimo, é o Governo regional responde pelos Açores, parece-me.

Quemtemmedodaavaliacao disse...

Caro Anónimo das 11.13 do dia 18/1, obrigado pela referência.

Quemtemmedodaavaliacao disse...

Cara Setora,

Os PCE respondem perante o Ministério da Educação, não respondem pelos colegas. Infelizmente, como isso não acontece, chegámos ao estado de auto-gestão (feito de balbúrdia e de irresponsabilidade) tão ineficiente que conhecemos.

Anónimo disse...

Quemtemmedodaavaliacao disse...
Caro Anónimo, é o Governo regional responde pelos Açores, parece-me.

É o governo regional, não é? Mas quando foi na Madeira, já não era o governo regional, fartaram-se de chamar nomes ao Jardim.
Já agora, alguém ouviu esta notícia na televisão, rádio e jornais? NINGUÉM !!!!!!!!!!!
É que já vem do dia 17 ...

setora disse...

Vê que se contradiz?
Mas qualquer professor tem o direito de tomar posição sobre tudo o que lhe cai em cima. Está no ECD. E se um pce professor está a ver o dislate contido em todas estas medidas deve tornar isso claro.
Os eleitos pelos professores e que contra estes estão a actuar deviam ser demitidos por quem os elegeu.Seria uma boa experiência política.